Enxergar o que está à nossa frente nem sempre é uma tarefa das mais fáceis, mesmo quando é a nossa imagem refletida no espelho. Podemos ver o que está lá, podemos ver o que gostaríamos que estivesse lá ou ainda podemos ver o que os outros nos contam que deveria estar no espelho.

Todos nós somos únicos e singulares, perfeitos na nossa concepção, para que possamos cumprir a missão que temos nesta vida e aprender as lições que se fazem necessárias.

Talvez um dos maiores desafios que uma pessoa pode ter seja se conhecer, afinal de contas não nascemos com manual, porém os instrumentos de assessment, ou análise de perfil, podem contribuir muito para isso.

Eles trazem informações a respeito de nossos comportamentos, talentos ou competências, mostrando para nós aquilo que somos e nascemos para realizar.

Abraçar e aceitar nossa individualidade seria como ligar um turbo em nossa vida, abrir a porta principal de nossa casa para que possamos sair e caminhar pela estrada que nos leva à realização do que cada um faz de melhor, com as próprias pernas.

Conhecer-se é o primeiro passo para gostar de si mesmo, respirar com orgulho quando se pensa quem se é, caminhar a passos largos e firmes em direção à autorrealização.

Uma vez que cada um se conheça, também ficarão mais claras as limitações ou oportunidades de melhoria de cada um, e aí então vem um novo desafio, a aceitação.

Aceitar quem somos e gostar do que vimos pode trazer diversos benefícios e significados, um deles pode ser a compreensão de que somos quem deveríamos ser para fazermos o que temos que fazer. Afinal de contas, nós nascemos sem nenhum recurso tecnológico ou financeiro, quem sabe é um sinal de que tudo de que precisamos para construir o que desejamos já esteja dentro de nós.

Autor: Alexandre Ribas

jul, 17, 2015

  Artigos

0

CURTA